Qual é o seu tipo de memória? Descubra e saiba como torná-la uma aliada da aprendizagem dos seus filhos

Thoughtful little boy with book in the classroom
Spread the love

memória pode ser uma grande aliada à aprendizagem. Muitas vezes, usamos a memória durante as aulas, mas não nos damos conta disso! É importante ter consciência do modo como pode ser utilizada, porque assim conseguimos ampliar seu uso e conseguir melhores resultados com estratégias voltadas para cada tipo de memória.

Nosso cérebro é bastante complexo e consegue armazenar informações de mais de uma maneira, com três prazos principais: memórias de curto, médio e longo prazo.

Alguns fatores afetam a memória e as lembranças podem ser diferentes de pessoa para pessoa, dependendo do modo como vivenciou determinado momento, por exemplo.

No caso escolar, contudo, estimular a memória pode trazer grandes benefícios para grande parte dos alunos. Conheça a seguir quatro tipos diferentes de memórias que podem ser estimuladas:

Memória semântica

Retém informações de palavras, símbolos ou recursos mais abstratos e é uma memória que tem longo prazo. Ela precisa ser estimulada com frequência para ser formada. Ela pode se manifestar de duas maneiras, sendo uma delas mais factual, como por exemplo quando dizemos que 2 + 2 = 4; ou por modos mais elaborativos, quando exploramos com os alunos o significado de algo, para que serve, como se relaciona com outras coisas. Esta última é uma memória mais construída.

Como estimular: atividades de pergunta/ resposta, distribuição em categorias, reflexão visual e contação de histórias.

Memória episódica

É baseada no contexto e na localização. A pessoa associa a aprendizagem a um determinado local. Imagine que algo é aprendido em uma sala A, mas a avaliação do conteúdo será feito na sala B, que é muito diferente da primeira sala. Nesta transição de local algumas informações podem ser perdidas, porque a pessoa que aprende pode ter associado o conteúdo a algo do local para memorizar.

Como estimular: cartazes de fixação de conteúdo na sala ou durante a explicação, atividades que façam uso de cores ou símbolos, imagens como infográficos e animações.

Memória sensorial

Utiliza o corpo e os sentidos para fixar os conteúdos. É um tipo de memória que necessita tanto de treino quanto de repetição. Um exemplo clássico de memória sensorial é a aprendizagem de andar de bicicleta ou quando aprendemos a nadar. Nosso corpo tem uma percepção dos movimentos e ajusta a aprendizagem de equilíbrio, velocidade, movimentos corporais. O corpo ajuda a fixar o que foi aprendido.

Como estimular: dramatizações de conteúdo, debates, atividades em grupo.

Memória reflexiva

Esta é uma memória mais complexa e diferente das demais. A memória reflexiva é quando refletimos sobre algo, mas com o auxílio de nosso campo emocional. Ela depende de um estímulo externo, mas se forma de modo pessoal. Um exemplo claro de memória reflexiva é quando relacionamos um bom resultado em uma avaliação com um tipo de amuleto que carregamos. Na realidade, não tem relação real, mas nosso emocional se sente confortável com a ideia do amuleto, portanto cria uma experiência reflexiva com ele.

Como estimular: objetos são ótimos para estimular este tipo de memória. As pessoas costumam fixar o tipo de experiência com os objetos, criando assim experiências reflexivas que marcam momentos ou até mesmo conteúdos. Usar objetos como gatilho de recordação dão bons resultados neste tipo de memória.

Fonte: https://saopauloparacriancas.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *